sábado, 3 de janeiro de 2009

Conversa de Botequim

O termo Botequim, Boteco, etc... sempre que ouvimos vem muito carregado de termos ou significados pejorativos, bem como taxa-se todos os frequentadores como "pinguços", "pé-de-cana", dentre outros.

Porém, este é um ambiente que compõe a cultura brasileira, está conosco desde que fomos colonizados, praticamente, pois, anteriormente sob a fachada das famosas "vendinhas de secos e molhados", mas, sempre com a participação da "freguesia" que dentre os assuntos corriqueiros que poderiam ir desde jogos, piadas, conversas para se jogar o tempo fora, atingiam também temas importantes da vida cotidiana e política. Na segunda fase da história de nossa república, sobretudo a partir do período do Estado Novo (período do governo VARGAS), o barzinho ou boteco esteve como ponto de encontro para a tomada de decisões de movimentos de base, como sindicatos, células revolucionárias, etc.

Também, nesse ambiente, se cultivava a cultura popular, nas composições musicais de notáveis como Chico Buarque, Tom Jobim, Tom Zé, dentre tantos célebres artistas. Mas, o que tudo isso tem haver com o blog? Todas essas conversas eram "regadas" por petiscos e comidas próprias desse ambiente. Temos nossos clássicos como o "caldinho de mocotó", "caldinho de feijão", "ovinho colorido", salgados diversos, pratos regionais, bebidas regionais, muita riqueza cultural em resumo.

Como ilustra o magnífico Noel Rosa em sua música "Conversa de Botequim", um agradável "sambinha" expoente de nossa cultura, o qual tomei a liberdade de transcrevê-lo abaixo.

Conversa de botequim

Composição: Noel Rosa / Vadico

Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do fute..bol

Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão
Uma caneta, um tinteiro,
Um envelope e um cartão,
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro
Que me empreste umas revistas,
Um isqueiro e um cinzeiro

Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do fute..bol

Telefone ao menos uma vez
Para três quatro quatro três três três
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empresta algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro,
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure esta despesa
No cabide ali em frente
Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do fute..bol


Saborosas saudações a todos!

Nenhum comentário: